Logon
História

O Colégio da Arquidiocese de Belo Horizonte

Fundação do primeiro colégio de BH se mistura ao nascimento da capital

A história do Colégio Santa Maria enraíza-se na de Belo Horizonte. Planejada para ser a capital de Minas Gerais, não contava  com a oferta de educação. Até então as famílias de maior poder aquisitivo enviavam suas filhas para estudar na França (Europa). Outra opção era o Colégio Sion, localizado em Petrópolis (RJ).

Para atender a demanda da sociedade belorizontina, a solução encontrada por um dos fundadores capital, o Conselheiro Afonso Pena, com o apoio do então ministro das Relações Exteriores da República, Barão do Rio Branco, foi a criação de um colégio nos moldes da conceituada educação francesa, o Santa Maria.

A intermediação do Barão do Rio Branco, Ministro das Relações Exteriores, resultou na vinda das Irmãs Dominicanas, de Sévres, na França. Em 20 de julho de 1903, Mère Cólombe, Mère Marie Pauline, Mère Maria Gabrielle e Soeur Jeanne du Rosarie, com o Capelão Père Henri Mothon, inauguraram a primeira instituição de ensino da nova capital, o Colégio Santa Maria.

Inicialmente, funcionou no palacete Antônio Olinto, onde hoje está instalada a Basílica Nossa Senhora de Lourdes. Depois foi transferido para o Palacete do Conde de Santa Marinha, próximo à Estação Ferroviária. Em 22 de maio de 1909 que o Santa Maria ocupou sede própria e definitiva, localizada à rua Jacuí, 237, Floresta.

As Irmãs Dominicanas ficaram à frente do colégio até 1968, ano em que ele integrou-se ao Instituto Arquidiocesano de Educação – criado em 1971 pela Sociedade Mineira de Cultura (SMC) -, mais tarde, Sistema de Ensino Arquidiocesano, tornando-se um colégio misto.

Em cinco de agosto de 1984, oficializou-se a fundação do Sistema de Ensino Arquidiocesano, explicitando, na linha da fidelidade à missão da escola católica, o Ideal inspirador da educação nas instituições diretamente ligadas à Arquidiocese de Belo Horizonte.

Em 2006, a SMC alterou os nomes de todos os colégios que integravam o Sistema, para Colégio Santa Maria, visando a identificação com o nome daquele que é o primeiro, mais tradicional e que permanece vivo na memória da sociedade, com um passado sempre presente.

Linha do Tempo

1912/1917 – Convento e Escola Santa Catarina

Em 1912 o colégio abrigou o primeiro convento de Belo Horizonte.  Cinco anos depois, inaugurou a Escola Santa Catarina, oferecendo educação gratuita de qualidade, sob os preceitos católicos. Era dedicada ao atendimentos de alunos carentes.

1935 -  O Liceu

Fundado em janeiro de 1935, pela professora Maria Marta Drumond Fonseca, o Liceu iniciou suas atividades oferecendo um pequeno curso particular, voltado para as famílias que se instalaram em Nova Lima, em geral, trabalhadores da Companhia Morro Velho. Um ano após sua fundação, já contava com os cursos Normal e Comércio. Em 1973, o Liceu foi adquirido pela Sociedade Mineira de Cultura, sob administração da Universidade Católica de Minas Gerais. Em 1984, ao se instituir o Sistema de Ensino Arquidiocesano, tornou-se uma de suas Unidades.

1945 – Faculdade Santa Maria

Também foi do Santa Maria que se originou a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Santa Maria, fundada em 1945 e doada em 1949 à Sociedade Mineira de Cultura - que no futuro incorporou-se ao conjunto de Faculdades que originaram a Universidade Católica de Minas.

1948 – Unidade Pampulha

O primeiro Arcebispo de Belo Horizonte, Dom Antônio dos Santos Cabral, foi o responsável pela criação do então Colégio Arquidiocesano de Belo Horizonte, atual Colégio Santa Maria Pampulha, em 1948. Consciente dos valores da presença da Igreja no trabalho da educação, Dom Cabral criou uma instituição de ensino, expressando, de forma jurídica, canônica e civil, a ação imediata da própria Arquidiocese na escola de nível secundário.

Em 22 de outubro de 1970, o Colégio passou a ser mantido pela Sociedade Mineira de Cultura. No ano seguinte, foi integrado ao Instituto Arquidiocesano de Educação. Em 1984, tornou-se Unidade do Sistema de Ensino Arquidiocesano.

1968 – Unidade Coração Eucarístico

Fundado em 1968, pelo então Reitor da Universidade Católica, Dom Serafim Fernandes de Araújo, o então Colégio da Universidade Católica de Minas Gerais, atual Unidade Coração Eucarístico, tem como marca o Ideal de uma formação cristã integral, da infância à juventude, formando lideranças autênticas, a serviço da promoção do povo de Deus.

Em julho de 1984, atendendo ao plano de integração e desenvolvimento dos estabelecimentos de ensino de 1º e 2º graus, mantidos pela Sociedade Mineira de Cultura, passou a integrar o Sistema de Ensino Arquidiocesano.

1968 – Santa Maria passa a ser um colégio misto

Administrar uma instituição de ensino tradicional como o Santa Maria tornou-se uma tarefa cada vez mais árdua para as Irmãs Dominicanas, que estavam sempre muito próximas dos mais necessitados, trabalhando junto aos carentes (pastoral direta). Por isso, em 1968, o Santa Maria passou a pertencer ao Instituto Arquidiocesano de Educação, mais tarde, Sistema de Ensino Arquidiocesano, tornando-se um colégio misto.

1971 -    Instituto Arquidiocesano de Educação

No ano de 1971, a Sociedade Mineira de Cultura (SMC) criou o Instituto Arquidiocesano de Educação, reunindo outras unidades de ensino com o nome de Sistema de Ensino Arquidiocesano.

1979 – Unidade Contagem

Fruto do grande amor à educação e prestígio do padre José Maria de Man, da Congregação dos Padres do Trabalho e consultor da Adveniat (organização filantrópica da Igreja Católica alemã para a América Latina), em 1979 é fundado o Colégio Técnico de Contagem. A instituição, tornou-se um grande centro preparatório de técnicos na região industrial de Contagem, sobretudo nas habilitações da área de Mecânica e de Eletrotécnica.

Em 1980, Padre de Man doou o colégio, em cujos espaços se situa um campus da PUC Minas, à Sociedade Mineira de Cultura. Sua integração ao Sistema de Ensino Arquidiocesano ocorreu em 1986. Pouco a pouco, a educação profissional concentrou-se no turno da noite e a partir de 198 o  ensino médio foi para o turno da manhã.

1984 – Sistema de Ensino Arquidiocesano

Em 5 de agosto de 1984, o então presidente da Sociedade Mineira de Cultura, Dom Serafim Fernandes de Araújo, oficializou a fundação do Sistema de Ensino Arquidiocesano, explicitando, na linha da fidelidade à missão da escola católica, o Ideal inspirador da educação nas instituições diretamente ligadas à Arquidiocese de Belo Horizonte.

1985- Unidade Cidade Nova

Em janeiro de 1985, foi inaugurado o Colégio Santa Maria Cidade Nova. Dia 5 de dezembro de 1999, na forma de convênio assinado pelo Emmo. Sr. Cardeal Dom Serafim Fernandes de Araújo, como presidente da Sociedade Mineira de Cultura, e o Sr. Mariano Rajoy Brey, Exmo. Ministro da Educação e Cultura da Espanha, tornou-se o Colégio Espanhol Santa Maria. Através do convênio, houve uma ampla extensão do currículo de estudos, que assegurou aos alunos o reconhecimento do curso pelo Governo Espanhol.

1992 – Unidade Nova Suíça

Do sonho do Superintendente de Educação Básica da época, professor Padre Antônio Sérgio Palombo de Magalhães e da Congregação das Irmãs de Caridade do Bom Pastor, surgiu o Colégio Sant'Ana, hoje Santa Maria Nova Suíça. Sua inauguração, em fevereiro de 1992, feita pelo então Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Serafim Fernandes de Araújo, viabilizou a instalação de uma instituição de ensino.

2006 – Unificação dos nomes das Unidades Santa Maria

Em 2006, a SMC alterou os nomes de todos os colégios que integravam o Sistema, para Colégio Santa Maria, visando a identificação com o nome daquele que é o primeiro, mais tradicional e que permanece vivo na memória da sociedade, com um passado sempre presente.

2013 - Unidade Betim

No ano em que completou seu 110.º aniversário, o Colégio Santa Maria  inaugurou a Unidade Betim. A criação do colégio corresponde ao Ideal do serviço à educação que a Arquidiocese de Belo Horizonte, através da Sociedade Mineira de Cultura, presta em Belo Horizonte e Região Metropolitana. Atende ainda a demanda das famílias por uma opção de escola particular no município de Betim.

Localizado nas instalações da Pontifícia Universidade Católica - Betim, especialmente adaptadas para o ambiente escolar, conta com turmas do 6.º ao 9.º Ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

2014 - Unidade Medianeira

No ano em que o Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, celebrou 10 anos à frente da Arquidiocese de Belo Horizonte, o Colégio Santa Maria anunciou a integração de mais uma Unidade à sua rede de ensino, a Escola Santa Luzia, situada na Rua Itabirito, 333, no Bairro Santa Efigênia. A instituição foi idealizada pelas Obras Sociais Nossa Senhora Medianeira, no ano de 1982, por iniciativa do Padre Bernardino Batista dos Santos e, em 2014, passou a denominar-se Colégio Santa Maria Medianeira, com atendimento a alunos do Maternal II ao 5.º Ano/EF, nos turnos manhã e tarde. 

2015 -Colégio Santa Maria Providência -  Unidades: Conjunto Taquaril, Jardim Vitória e Santa Efigênia

O Projeto Providência é uma entidade filantrópica que se dedica à promoção humana, à garantia dos direitos de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social, com a missão de educar para a vida, favorecendo o desenvolvimento integral e o exercício da cidadania. Criado em 1988 por Padre Mario Pozzoli, que dirigiu o Projeto até o início de 2014, ano em que a Arquidiocese de Belo Horizonte assumiu o Projeto.

Em 2015, a Educação Infantil das três Unidades do Projeto Providência passaram a compartilhar os valores e as diretrizes do Colégio Santa Maria. O Colégio Santa Maria Providência proporciona a crianças, de três a cinco anos de idade, a educação comprometida com o saber e a formação humana.

As Unidades passaram a se denominar: Colégio Santa Maria Providência – Jardim Vitória, Colégio Santa Maria Providência – Conjunto Taquaril e Colégio Santa Maria Providência – Santa Efigênia.